+55 11 2548-0463 / + 55 11 2548-0414  |   cbdv@cbdv.org.br                                                       Acessibilidade:   Alto Contraste    Aumentar Fonte   Diminuir Fonte  

Reformulado, Ranking Nacional de Judô traz várias novas lideranças

Torneios internacionais deixam de contar pontos para tornar a lista mais equilibrada; acesse a relação completa
#Acessibilidade: Luan Pimentel, à direita, faz a pegada no quimono de Wilton Junior na final da categoria até 73 kg no último Grand Prix.
09/12/2019

Por Comunicação CBDV
09/12/2019
São Paulo/SP

O Departamento Técnico da Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV) divulga nesta segunda (9) o novo Ranking Nacional de Judô, que traz uma importante mudança em relação às edições anteriores: apenas as duas etapas do Grand Prix disputadas no Brasil, em 2018 e 2019, foram consideradas na pontuação. O objetivo ao descartar eventos internacionais foi evitar desequilíbrio muito grande na lista.

Somado ao fato de muitos judocas terem trocado de peso de uma temporada para outra, o resultado é um ranking repleto de novidades, com outras lideranças despontando. Vale lembrar que quem muda de categoria perde os pontos da categoria anterior. Além disso, a pontuação de 2018 vale 50% em 2019.

As principais mudanças se deram entre as mulheres – 31 judocas estão ranqueadas. Maria Núbea Lins, por exemplo, líder da categoria até 57 kg em 2018, baixou o peso e ficou em terceiro entre as lutadoras com até 52 kg – esta mesma categoria ganhou ainda a chegada da veterana Karla Cardoso, a segunda colocada (ela era a terceira no ranking até 48 kg na última temporada).

Outras atletas, mesmo trocando de peso, mantiveram-se no topo, caso de Lúcia Teixeira, que deixou a liderança da categoria até 63 kg para assumi-la entre as atletas com até 57 kg. Já o maior salto foi dado por Brenda Souza (até 70 kg), que se valeu do título no Grand Prix e da ausência da estrela Alana Maldonado, fora da competição por conta de lesão, para pular do quinto lugar em 2018 para o topo em 2019.

Entre os homens, as trocas de peso foram menos frequentes. Thiego Marques, por exemplo, que liderava o ranking até 60 kg em 2018, caiu para terceiro no peso acima (até 66 kg), mesmo vencendo a etapa final do Grand Prix. Já Luan Pimentel (até 73 kg), Harlley Arruda (- 81 kg) e Arthur Cavalcante (- 90 kg) repetiram o feito do ano anterior.

+ CLIQUE AQUI e acesse o Ranking Nacional de Judô completo.


Comunicação CBDV

Renan Cacioli

renancacioli@cbdv.org.br

+ 55 11 98769 1371
+ 55 11 99519 5686 (WhatsApp)